Mamaço critica preconceito contra mães que amamentam em público

Mães e organizações sociais do Recife, Belém, Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Florianópolis, Fortaleza e Rio de Janeiro aderem ao movimento e promovem roda de amamentação coletiva e outras atividades gratuitas.

O evento foi criado pela antropóloga Marina Barão. Indignada após ser proibida de amamentar no Instituto Itaú Cultural, em São Paulo, ela criou o Mamaço Cultural, que reuniu 50 pessoas em sua primeira edição, apoiada inclusive pela instituição, que se retratou publicamente. A segunda edição do mamaço aconteceu na rede social Facebook, organizada pela jornalista Kalu Brum. Ela colocou uma foto sua amamentando o filho, mas recebeu um comunicado da empresa, afirmando que a foto seria retirada por conter conteúdo impróprio. Kalu criou o evento Mamaço Virtual- Porque Amamentar é Beleza Pura!, convidando as mães a também colocar fotos em que amamentam seus filhos.

No Recife, o “protesto” acontece na Livraria Cultura, no Bairro do Recife, a partir das 12h. O evento contará com debate sobre a importância da amamentação e da inclusão de espaço destinados à prática em locais públicos, oficina de Shantala (massagem em bebês) e Baby Yoga, além de bate-papo sobre as experiências de cada mãe. Aqui, o movimento é apoiado pelo Instituto Nômades, Instituto Ishtar e pela mãe Patrícia Arouca.

Programação:
12h- Recepção dos participantes
12h30- Início da Roda de Discussão
12h30 às 14h00- Mitos relacionados à amamentação / Dificuldades e experiências individuais, relactação, tira-dúvidas
14h- Oficina gratuita de slings
14h30- Oficina gratuita de Shantala e Baby Yoga
15h- Sorteio dos brindes fornecidos pelas empresas que apoiam o mamaço

Fonte: Redação do DIARIODEPERNAMBUCO.COM.BR

Deixe um comentário