Manifesto sobre aborto é enviado à presidenta Dilma Rousseff

Ativistas dos direitos humanos e pela igualdade de gênero enviam à presidenta Dilma Rousseff e a ministras/os manifesto contra a forma como o aborto foi tratado durante o período eleitoral no Brasil

Com quase 7 mil assinaturas de brasileiros/as e estrangeiros/as, manifesto é enviado, na quinta-feira, 13 de janeiro de 2011, à presidenta Dilma Rousseff, ao ministro da Justiça e às ministras da Secretaria Especial de Direitos Humanos e da Secretaria de Políticas para as Mulheres. O documento expressa a indignação pela forma como a questão do aborto foi tratada no período eleitoral de 2010 no Brasil, chamando a atenção que o aborto é uma grave questão de saúde pública.

Na quinta-feira, 13 de janeiro de 2011, um grupo de ativistas defensores/as dos direitos humanos e da igualdade de gênero no Brasil enviou um manifesto com 6.215 assinaturas de brasileiros/as e estrangeiros/as à presidenta Dilma Rousseff, ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e às ministras Maria do Rosário e Iriny Lopes, respectivamente da Secretaria Especial de Direitos Humanos e da Secretaria de Políticas para as Mulheres.

O documento, que expressa a indignação dos/as signatários/as pela forma como a questão do aborto foi tratada na campanha eleitoral de  2010, foi disponibilizado na Internet, entre outubro e novembro do ano passado, tendo sido assinado por milhares de brasileiros e mais de setecentas pessoas de outra nacionalidades.

Anita Leocádia Prestes, Carlos Minc, Ennio Candotti (físico, ex-presidente da SBPC), Lia Zatz (escritora), Lucia Murat (cineasta), Luciana Villas Boas (editora), Margarida Pressburger (presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB do Rio) – entre os nomes nacionais – e Mariela Castro (filha do presidente cubano Raul Castro, sobrinha de Fidel e diretora do CENESEX, de Cuba) – entre os nomes internacionais –, foram algumas das quase sete mil pessoas que assinaram o manifesto.

O manifesto e a íntegra das listas de signatários/as brasileiros/as e estrangeiros/as estão disponíveis, em PDF, nos links a seguir:

- Observatório de Sexualidade e Política
http://www.sxpolitics.org/pt/?p=2214

- Centro Latino-americano em Sexualidade e Direitos Humanos
http://www.clam.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?UserActiveTemplate=%5FBR&infoid=7594&sid=8

Deixe um comentário